O show de projeções da abertura dos Jogos Olímpicos

 

A Olimpíada Rio 2016 aponta a reta final (encerramento do evento acontece no dia 21 de agosto as 20h) e a expectativa é de um espetáculo ao menos próximo da encantadora abertura dos jogos. A cerimônia de abertura emocionou o Brasil, encantou o mundo e ainda depois do início oficial dos jogos não saiu dos noticiários. Grande parte de todo sucesso e repercussão da cerimônia se deve ao que de forma geral chamamos de “efeitos especiais”. De fato o show foi absolutamente cheio de tecnologia, às projeções no solo, as fitas que se transformaram em ocas e a toda projeção que dialogava com os objetos de cena do espetáculo chamamos vídeo mapping.
O vídeo mapping é a técnica de projeção que se apropria de estruturas físicas pra acontecer. Após determinada a região e formato da projeção – que pode ter um ou quantos projetores quiser – imagens pré concebidas são projetadas e, no caso da abertura dos Jogos Olímpicos, quando combinadas a objetos e figuras humanas e seus figurinos muito bem pensados, geram aquele efeito, absolutamente fantástico!
No show de abertura dos Jogos Olímpicos os números foram tão grandiosos quanto tudo que foi visto: no total 106 projetores – o que justifica o efeito grandioso , 20 km cabos de fibra óptica, 42 mil peças de material pirotécnico, 500 kg de confete cenográfico e 50 composições para trilha sonora, além da força e talento humano de 300 produtores artísticos, 200 dançarinos profissionais e 504 ritmistas.
Na RSTcom criamos também conteúdos em vídeo mapping para todo tipo de aplicação necessária, personalizada a linguagem e/ou evento da marca. Nas imagens abaixo é possível observar alguns exemplos do que foi feito com a tecnologia na abertura dos Jogos Olímpicos e a partir daí soltar a imaginação para tudo que se é possível desenvolver através do vídeo mapping.

Leave a Reply