Teremos mais dispositivos IoT (Internet das Coisas)

do que pessoas no mundo em 2017

Uma pesquisa realizada pela empresa de análise de mercado, a Gartner, surpreendeu setores de tecnologia ao afirmar que o número de “coisas” (dispositivos) da Internet das Coisas (IoT) vai superar o número de habitantes do planeta ainda em 2017.
A IoT vem do termo “Internet of Things”, em inglês, e define a tecnologia que permite a conexão de aparelhos eletrônicos que usamos no cotidiano (eletrodomésticos, máquinas industriais, aparelhos móveis, meios de transporte, dentre outros) à internet. O surgimento e desenvolvimento da IoT está totalmente relacionado ao desenvolvimento de outras tecnologias como os sensores wireless, a nanotecnologia e a inteligência artificial.
O uso da Internet das Coisas em estabelecimentos comerciais ou eventos corporativos otimiza as atividades a medida que permite desde o reconhecimento e identificação de presença até relação com diversas plataformas interativas que permitem maior aproximação e compreensão de produtos e serviços oferecidos. É a era da interação a serviço da mobilidade das coisas e da informação.
A pesquisa realizada pela Gartner prevê uma crescente de 31% no segmento, atingindo cerca de 8,4 bilhões de dispositivos de IoT conectados pelo mundo ainda esse ano e até 20 bilhões em 2020. Com destaque para os mercados da China, América do Norte e Europa Ocidental que possivelmente serão responsáveis por grande maioria dos 2 trilhões de dólares previstos em gastos com a tecnologia.
Segundo Denise Rueb (diretora de pesquisa da Gartner), “Serviços de Internet das Coisas são fundamentais para o aumento dos dispositivos de IoT” e os dados indicam que pode passar de 270 bilhões de dólares os gastos com profissionais, consumidores e serviços de conectividade em 2017. Os sistemas automotivos, TVs e set-top boxes digitais serão os aparelhos mais acessados por consumidores de IoT num mercado que abrangerá ainda câmeras de segurança, geladeiras, termostatos, iluminação LED e até mesmo lixeiras.
Fonte: Gartner (Janeiro/2017)

Leave a Reply